Planeta Amazônia - Portal de notícias

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Crimes contra indígenas na ditadura devem ser alvo de investigação ampliada

Conforme relatos, principais vítimas foram povos instalados na rota das grandes rodovias

Maria Rita Khel recebe relatório sobre violações contra indígenas, em 2013. Foto: Divulgação

São Paulo - Os casos de graves violações de direitos humanos contra povos indígenas durante a ditadura militar no Brasil poderão ganhar uma frente especial de investigações após o encerramento das atividades da Comissão Nacional da Verdade, em dezembro. Um requerimento sobre o colegiado especial deve ser encaminhado nesta semana à comissão nacional. Um de seus principais argumentos é o de que, embora os índios estejam entre as principais vítimas do período de exceção, a maioria dos casos ocorridos com eles ainda não foi investigada.

Se concordar com os termos do requerimento, a Comissão Nacional poderá incluir, no capítulo final do relatório que conterá as recomendações ao governo brasileiro sobre o que se deve fazer daqui para a frente, a proposta de uma comissão especial para os povos indígenas.

Essa ideia, que já vinha sendo discutida por antropólogos e historiadores, ganhou corpo na semana passada, durante uma sessão da Comissão da Verdade de São Paulo, que tratou da questão indígena.

Na ocasião, a jornalista Memélia Moreira, autora de reportagens sobre violência contra indígenas na ditadura, relatou ter evidências de que militares utilizaram napalm para atacar aldeias na região da Amazônia.

O napalm é uma espécie de gasolina gelatinosa que se tornou mundialmente conhecida após ter sido utilizada pelas tropas norte-americanas na Guerra do Vietnã (1965-193).

Os problemas com os militares foram registrados principalmente nas comunidades indígenas instaladas na rota de grandes rodovias construídas na época na região amazônica. Em seu depoimento à comissão estadual, Memélia disse que recolheu estilhaços das bombas de napalm durante uma visita à aldeia dos índios waimiri-atroari, na região sul do Estado de Roraima. “Eu vi, peguei e guardei um tonelzinho de napalm”, disse.

Os conflitos com os waimiri-atroari ocorreram durante a construção da BR-174, entre Manaus a Boa Vista, entre 1967 e 1977. Ainda segundo a jornalista, o napalm teria sido utilizado em pelo menos duas ocasiões, entre 1975 e 1976. “Em 1978, quando estive na aldeia deles em Santo Antonio de Abomari, encontrei restos de latas usadas para armazenar o napalm”, afirmou.

Leia mais...
 

Abertura do Congresso de Odontologia da UEA acontece nesta quarta-feira

A programação ocorre até o dia 1º de novembro. No dia 30 e 31 as atividades serão realizadas das 8h às 12h e das 14h às 18h

O evento será realizado na Escola Superior de Ciências da Saúde da Universidade do Estado do Amazonas (ESA/UEA). Foto: Divulgação

Manaus - A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) realiza, às 18h desta quarta-feira (29), a abertura do 4º Congresso de Odontologia da instituição. O evento será realizado na Escola Superior de Ciências da Saúde da Universidade do Estado do Amazonas (ESA/UEA), localizada na Avenida Carvalho Leal nº 1.777, bairro Cachoeirinha.

A programação ocorre até o dia 1º de novembro. No dia 30 e 31 as atividades serão realizadas das 8h às 12h e das 14h às 18h. No último dia do evento (1º de novembro), a programação ocorre das 8h às 12h. As inscrições devem ser realizadas pelo site: www.semanaodontouea.com.br.

Com o tema “Odontologia: conhecer e inovar para integrar”, o evento tem o objetivo de atualizar acadêmicos e profissionais do Amazonas e de outros Estados, por meio da integração de novos conceitos e práticas odontológicas da atualidade. A expectativa é que o evento reúna cerca de 700 participantes entre acadêmicos e cirurgiões-dentistas do Amazonas e da região Norte.

Convidados

Nesta quarta edição, além da participação de palestrantes renomados do eixo Rio-São Paulo e dos Estados de Pernambuco e Ceará, o Congresso contará ainda com conferencistas internacionais. Os participantes poderão participar de um curso internacional de Endodontia, que será ministrado pelo argentino Pablo Ensinas, membro da Sociedade Argentina de Pesquisa Odontológica.

A programação do evento, que acontece até o dia 1º de novembro, inclui a realização de concursos de habilidades manuais, exposição de trabalhos científicos, palestras, além de eventos paralelos como o 3º Concurso Acadêmico de Preparo Dentário. Haverá ainda premiações para a exposição de painéis científicos nas categorias: Acadêmico e Profissional. Os Técnicos e Auxiliares em Saúde Bucal também terão atividades específicas como o curso de “Práticas em Biossegurança”, que será ministrado no sábado, dia 1º.

Leia mais...
 

Justiça manda retirar lixão de proximidade com aeroporto de Tefé

Justiça manda retirar lixão de proximidade com aeroporto de Tefé

Tráfego aéreo em Tefé, segundo a AGU, corre risco com lixão próximo à área do aeroporto. Foto: Acervo DA

Manaus - A  Advocacia Geral da União (AGU) impediu, na Justiça Federal, a continuidade do despejo de lixo na área de segurança do aeroporto de Tefé, a 522,16 quilômetros de Manaus. A ação foi em parceria com a Infraero e os ministérios públicos Federal (MPF) e Estadual (MP-AM).

A Prefeitura de Tefé foi acionada na Justiça para que o despejo de resíduos da coleta de lixo urbano fosse feito em local adequado e que não ofereça risco à atividade aeroportuária. Foi pedida, também, que o município construa aterro sanitário e promova campanha de conscientização sobre o descarte em local adequado.

Conforme a AGU, o lixo não estava sendo compactado e coberto diariamente, ficando a céu aberto sem nenhum tipo de tratamento e sem drenagem superficial, poços de drenagem de gases ou mantas de impermeabilização. Este fato, segundo a AGU, ocasionou a poluição do solo, rios e igarapés, atraindo grande concentração de urubus na área do lixão.

Para a AGU, Infraero e MPs, a situação no local afronta as normas ambientais e a legislação aeronáutica, que estabelecem restrições especiais a implantações de natureza perigosa que possam afetar a segurança e a regularidade das operações aéreas.

A 7ª Vara Federal da Seção Judiciária do Amazonas acolheu os pedidos da AGU e determinou ao município que realizasse, no prazo máximo de 12 meses a contar do trânsito em julgado, a construção do aterro sanitário, distante 20 quilômetros da pista de pousos e decolagens do aeroporto, sob pena de multa diária de R$ 2 mil, bem como organizasse as campanhas de conscientização da população sobre o correto descarte do lixo.

Leia mais...
 

Saúde - Câncer de próstata afeta um em cada seis homens

A previsão do Inca é que a doença apresente um crescimento de 60% em 2015

MANAUS - O tema já foi muito polêmico, mas, aos poucos, os homens têm se conscientizado sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata. Prova disso é a previsão de aumento no número de casos diagnosticados. De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), até 2015, é esperado um crescimento de 60%. Estimativas apontam que o câncer de próstata já afeta um em cada seis homens em todo o mundo.

"Os principais fatores de risco do câncer de próstata são o estilo de vida, desequilíbrio hormonal da testosterona, idade, herança genética e etnia. Mais de 60% dos casos diagnosticados no mundo ocorrem em homens com 65 anos ou mais. Pesquisas revelam, também, que a doença é duas vezes mais comum em negros do que em brancos", revela o urologista Newton Soares de Sá Filho.

Leia mais...
 

CORRIDA SENADOR JOSÉ BERNARDO CABRAL 2014

Data: 09 de Novembro (domingo)
Local: Fundação Vila Olímpica de Manaus
Manaus/AM

A organização da prova será feita pela Endurance Sports Consulting e, será realizada no domingo, 9 de Novembro de 2014, na cidade de Manaus/AM.
A Corrida será disputada na distância de 5Km e terá como Regras de competição as Normas que regem o Regulamento Geral de Provas de Rua da Confederação Brasileira de Atletismo – CBAt.

Este regulamento e o percurso serão divulgados nos site: www.endurancemanaus.com.br
A II Corrida Senador José Bernardo Cabral 2014 será disputada nas seguintes categorias: masculino e feminino:
I - INDIVIDUAL – Onde cada atleta correrá 5 Km;
II - CADEIRANTE – Destinada aos atletas que necessitam exclusivamente do uso de cadeira de roda esportiva, onde cada atleta correrá 5 Km;
III - DEFICIENTE VISUAL – Somente para atletas com ausência total de visão e que poderão correr acompanhados por um guia, onde cada atleta correrá 5 Km (OBS: O guia não competirá);
Serão desclassificados todos os atletas que não observarem a formação acima descrita.
A largada e a chegada da prova serão na Fundação Vila Olímpica de Manaus, Av. Pedro Teixeira, s/nº, Bairro D. Pedro, sob qualquer condição climática, nos SEGUINTES HORÁRIOS:
I - CADEIRANTE e PORTADOR DE DEFICIÊNCIA VISUAL: 7h00;
II - INDIVIDUAL e EQUIPE: 7h02;
O horário da largada da prova ficará sujeito a alterações em razão de problemas de ordem externa, tais como falhas de comunicação, suspensão no fornecimento de energia, etc.
O posicionamento escolhido pelo ATLETA no local de largada, disponibilizado pela organização é de única e exclusiva responsabilidade do mesmo.
Haverá no local de largada da prova, uma área destinada aos atletas de elite denominada pela organização como PELOTÃO DE ELITE, e, a partir desta, outra área denominada PELOTÃO GERAL.
Os atletas que largarão no pelotão de elite serão os que possuem um currículo de tempos mínimos em provas oficiais. Para participação no pelotão masculino de Elite o tempo referencial é de 16 minutos (5 km). Para participação no pelotão feminino de Elite o tempo referencial é de 18 minutos (5 km). O número máximo de atletas no pelotão de elite é de 50 (cinquenta).
Os tempos para habilitação à prioridade elite só serão aceitos se forem homologados em Provas Oficiais: IAAF, AIMS, CBAt, e FEDERAÇÕES REGIONAIS.
Poderão participar da corrida, atletas de ambos os sexos, regularmente inscritos de acordo com o Regulamento Oficial da prova.
Leia mais...
 

Moradores criam associação para preservar patrimônio histórico de Manaus

De acordo com a presidente da Ascult-SVF, Regina Lúcia Azevedo de Melo, o centro histórico está na memória afetiva dos moradores

Foto:Marcos Antônia/Jornal do Commercio

MANAUS - A capital do Amazonas abriga exemplos de pessoas que se organizaram para ajudar a melhorar o espaço público. Ruas, praças, prédios históricos e outros locais públicos que receberam atenção especial da população manauara.

No Centro, bairro pioneiro da capital amazonense, moradores da rua Frei José dos Inocentes fundaram a Associação Cultural São Vicente de Fora (Ascult-SVF) no dia 7 de abril de 2013, com o objetivo de firmar parcerias com os órgãos públicos, entidades de classe, empresas e quem tenha interesse em promover o centro histórico de Manaus de forma organizada e proficiente.

De acordo com a presidente da Ascult-SVF, Regina Lúcia Azevedo de Melo, o centro histórico está na memória afetiva dos moradores e dos artistas, que constituem um dos grupos sociais mais interessados na preservação do patrimônio histórico de Manaus. “Muitas famílias de Manaus, as mais antigas, foram moradoras dessa parte da cidade. E nós, os artistas, pretendemos aliar as questões culturais do centro histórico por meio das artes com a recuperação do Centro, aproximando os dois lados”, disse.

Segundo a presidente da Ascult- SVF, colocar o nome do primeiro bairro de Manaus na associação e afirma o compromisso com a cultura da capital amazonense. “É uma forma de resgatar a história da fundação da cidade, mais precisamente o local onde muitos fatos ocorreram no passado”, relembrou.

A Praça Aníbal Beça é um modelo de como a sinergia entre entre o poder público e o privado pode transformar espaços públicos, a prova de maior inovação no processo de gestão. O novo espaço comunitário, foi construído com recursos da iniciativa privada, nasceu de uma área remanescente de cerca de 3 mil metros quadrados, após a intervenção da prefeitura para a implantação da rua Dr. Thomas que inicia na rua Maceió, bairro de Nossa Senhora das Graças, próximo ao Parque do Idoso, zona Centro-Sul de Manaus.

A obra de promoção e qualificação da praça não teve investimentos diretos de recursos públicos, com exceção da iluminação pública. O investimento foi privado, objeto de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado entre o Container Mall, empresa do shopping instalado ao lado, com análise e respaldo jurídico da PGM (Procuradoria Geral do Munícipio). O TAC definiu que caberia ao empreendimento construir toda a infraestrutura e dotar de mobiliário a praça, incluindo estacionamento, paisagismo, bicicletário, entre outros.

De acordo com o Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), o novo logradouro ganhou infraestrutura, para que a população possa se usufruir do espaço público. Em julho passou a dispor de bancos, caminhos, paisagismo, paraciclo e ainda um bônus cultural, com a instalação de obras de arte e poesia integrados ao verde.

Leia mais...
 

Seminário apresenta soluções de acesso à internet na região amazônica

Durante evento em Belo Horizonte, Rede Nacional de Ensino expôs solução técnica que otimiza conexão no Médio Solimões

Entre os destaques do seminário está uma solução técnica para acesso à internet testada na região do Médio Solimões. Foto: Reprodução

Belo Horizonte – Durante o 20º Seminário de Capacitação e Inovação da RNP (SCI), a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) apresentou projetos e serviços da sua área que cuida da infraestrutura de redes. Entre eles, uma solução técnica para acesso à internet testada na região do Médio Solimões, no Amazonas. O evento segue até sexta-feira (24), em Belo Horizonte (MG).

O analista de Engenharia de Redes, Rodrygo Córdova, apresentou o projeto de otimização WAN que foca nas redes satélites que impactam a experiência de usuários.

Ele mostrou uma prova de conceito realizada no Instituto Mamirauá, que desenvolve atividades de pesquisa, manejo e assessoria técnica nas áreas das reservas de desenvolvimento sustentável Mamirauá e Amanã.

"A comunicação entre o local e o PoP é realizada por satélites, com conexão saturada. A maior parte dos protocolos é HTTP, que roda em cima de TCP. Antes de realizar a otimização, pudemos observar que instituto tinha média de conexões. Conseguimos quase dobrar as conexões que o Mamirauá podia abrir", relatou Córdova.

Como alguns dos resultados do projeto, ele citou a banda otimizada e a redução da quantidade de dados jogado na WAN.

"Trinta e cinco por cento do tráfego foi otimizado, com aumento de 56% da capacidade HTTP. Passamos de 2.500 para 4.250 conexões totais, com redução da latência e da perda na aplicação, aumentando a experiência do usuário", destacou.

Leia mais...
 


Página 1 de 116

Visitas ao Site

contador de acesso

Entre nessa rede

Notícias G1

Loading feeds...

Classes in Delhi NCR

Preservar...

Clima Tempo

Galeria

Please wait while JT SlideShow is loading images...
Photo Title 1Photo Title 2Photo Title 3Photo Title 4Photo Title 5

Login

Get the Flash Player to see this player.

2010 planetamazonia.com.br. Todos os direitos reservados. Política de privacidade.